Conteúdo Geral
O Novo Atlas do Crime Cibernético: Uma Abordagem Colaborativa para Combater o Crime Digital
Brasiline
8 de fevereiro de 2024

A transição global para a economia digital significa que as operações de governos, infraestruturas críticas, empresas e indivíduos agora são um sistema integrado de recursos interconectados. Tudo, desde comércio e bancos até a prestação de serviços críticos, gestão de transporte internacional e redes de energia, está agora online, e muitos de seus recursos subjacentes, como cadeias de suprimentos, são interdependentes.

Devido a isso, as interrupções digitais podem ter implicações de longo alcance, impactando a vida e o bem-estar de praticamente todos.

O cibercrime apresenta um risco significativo para este novo mundo digital, afetando desde indivíduos e empresas até infraestruturas críticas e governos. Em seu Relatório Global de Riscos para 2024, o Fórum Econômico Mundial identificou a desinformação/propaganda gerada por IA e a insegurança cibernética como alguns dos principais riscos enfrentados pela comunidade global.

O fórum também apontou que o cibercrime é agora a terceira maior economia do mundo, depois dos Estados Unidos e da China. Mas seu impacto potencial vai muito além da perda financeira. Além dos danos diretos, o cibercrime cria uma enorme barreira para a confiança digital, mina os benefícios do ciberespaço, aumenta a desigualdade global e prejudica os esforços internacionais de estabilidade cibernética.

O desafio é elevar o padrão para todos - empresas, governos, instituições acadêmicas, aplicação da lei e cidadãos individuais.

Um Desafio Global Requer uma Resposta Global

Apesar da seriedade do desafio do cibercrime, os esforços para combater as atividades dos criminosos cibernéticos até o momento foram em grande parte descoordenados e fragmentados.

Embora certamente existam organizações e fornecedores comprometidos em combater os criminosos cibernéticos, esforços isolados têm dificuldade em fazer diferença nos esforços concertados dos criminosos cibernéticos altamente organizados de hoje.

Para enfrentar esse desafio, o Fórum Econômico Mundial estabeleceu o Centro de Cibersegurança em janeiro de 2018, uma coalizão de organizações públicas e privadas trabalhando para construir um ciberespaço global seguro.

No entanto, desde a sua fundação, a necessidade de uma resposta coordenada ao cibercrime tornou-se ainda mais urgente. Em resposta, o Centro de Cibersegurança estabeleceu sua comunidade de Parceria contra o Cibercrime.

E sua primeira iniciativa, anunciada em janeiro de 2023 e liderada pelos parceiros do Fórum Econômico Mundial Fortinet, Microsoft, PayPal e Santander, foi construir o Atlas do Crime Cibernético, uma plataforma de pesquisa colaborativa projetada para reunir e reunir informações sobre o ecossistema cibercriminoso e os principais atores ameaçadores em operação hoje. Agora lançada, esta poderosa ferramenta de pesquisa de código aberto está criando novos insights sobre o ecossistema cibercriminoso e irá permitir e acelerar a interrupção do cibercrime.

O Atlas do Crime Cibernético

O Atlas do Crime Cibernético representa uma mudança significativa de paradigma em como abordamos coletivamente o desafio do cibercrime. Esta plataforma colaborativa permite que empresas globais, agências nacionais e internacionais de aplicação da lei, investigadores de cibercrime e pesquisadores de inteligência de ameaças compartilhem proativamente conhecimento e coletem dados sobre atividades cibercriminosas, o ecossistema cibercriminoso e os principais atores ameaçadores.

Também mapeia a atividade criminosa em todo o mundo e usa pesquisa de código aberto para ajudar as organizações a entender e interromper o ecossistema cibercriminoso.

O Atlas do Crime Cibernético constrói uma imagem abrangente do cenário do cibercrime, incluindo operações criminosas, infraestruturas compartilhadas e redes. Ao mapear e documentar o cenário do cibercrime, as organizações podem rastrear e rastrear de forma mais eficiente e precisa a atividade cibercriminosa, identificar rapidamente ameaças e atores ameaçadores e identificar oportunidades para ação coordenada no combate às ameaças cibernéticas. Isso permitirá que a indústria de cibersegurança aloque recursos de forma mais eficiente na luta contra elas.

E à medida que esse banco de dados cresce, as organizações serão mais capazes de identificar, atribuir e frustrar ataques em andamento, elaborar jogadas proativas para proteger contra ameaças conhecidas e desconhecidas e gerar recomendações de políticas - tudo isso servirá para tornar os esforços ilegais da comunidade cibercriminosa cada vez mais proibitivos de custo.

O Atlas é uma iniciativa pioneira, aproveitando os esforços de dezenas de organizações para gerar um impacto real criando uma cadeia de interrupção no mundo do cibercrime.

Fonte

Conheça a Brasiline

Nosso objetivo é garantir um alto nível de serviço e qualidade nos projetos, para que a sua TI seja usada de forma estratégica, a favor dos seus negócios e das pessoas envolvidas. Assim, sua empresa pode focar no que realmente interessa: no seu core business. Conte com nossos Experts e garanta para sua operação um suporte técnico ágil e eficiente.

Conheça nossos cases de sucesso
Entre em contato conosco

Siga-nos no Instagram

Mais Recentes
Deepfake: criminosos usam IA para roubar R$ 129 milhões
Brasiline
27 de fevereiro de 2024
Por meio dessa tecnologia que imita o rosto das pessoas, um funcionário foi enganado e transferiu o dinheiro da empresa […]
Desbloqueando o Potencial do Seu Negócio: Supere a Paralisia Tecnológica
Brasiline
20 de fevereiro de 2024
A Paralisia Tecnológica é como um carro atolado na lama, impedindo o progresso do seu negócio. Investir em tecnologia sem […]
Cibersegurança, 
Infraestrutura e Cloud. 
Este é o nosso negócio!
Para saber mais sobre os produtos e serviços Brasiline, fale com um de nossos consultores
© Copyright 2024 Brasiline Tecnologia - Desenvolvido por Skyflare - Política de Privacidade | Termos de Serviço
Cadastre-se e fale com um especialista via WhatsApp!
calendar-fullcross
Como podemos te ajudar?